Despedindo-se do Passado

Despedindo-se do Passado

TEXTO BASE: Filipenses 3.1-14

Paulo deixou muito claro sobre o que pensar do passado, na sua carta aos Filipenses: “Esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:13-14). Precisamos nos desprender das amarras que nos aprisionam ao passado. Já não nos é cabível ficar olhando para trás, para as nossas culpas, emoções ou até mesmo para as coisas boas que já vivemos. É necessário prosseguir a caminhada em Jesus. Ficar preso ao passado nos impede de avançar, de seguir adiante, de caminhar rumo aquilo que nos aguarda. A vida cristã tem etapas diferentes. Entramos por uma porta, trilhamos um caminho em direção a um alvo e algo que normalmente nos atrapalha em trilhar o caminho e prosseguir para esse alvo, é justamente se prender naquilo que ficou para trás.

Quando o Senhor tirou Ló e sua família de Sodoma, advertiu-lhes claramente a que não olhassem para trás. Ele estava dizendo que seria o fim de tudo aquilo, e que o coração deles deveria estar totalmente desprendido. Mas a mulher de Ló desobedeceu a ordem divina, seu coração estava preso ao que deixou para trás. Precisamos entender a importância do desprendimento. Tem pessoas que saíram do mundo, mas não abriram espaço para o mundo sair de dentro delas. John Wesley dizia que a conversão tira o cristão do mundo, mas a santificação é que tira o mundo de dentro do cristão.

Existem três prisões comuns que tem aprisionado muitos ao passado.

1ª – Presos a culpa e a condenação daquilo que fizeram.

Algumas pessoas às vezes não conseguem entender a dimensão do perdão e da manifestação da graça de Deus. E continuam presas à culpa do passado.

Precisamos entender que não estamos mais presos à culpa e à condenação daquilo que fizemos, hoje estamos em Cristo, somos novas criaturas… (II Coríntios 5.17)

“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” (Romanos 8.1) Nós não fomos apenas perdoados, somos justificados e livres de toda culpa e condenação.

2ª – Presos ao passado no aspecto emocional.

Muitos de nós estamos presos a um passado emocional , por marcas profundas na alma, por decepções, por abuso, rejeição ou por feridas, mas nós precisamos trazer a memória aquilo que está na palavra de Deus: Ele sara os quebrantados de coração, e cura-lhes as feridas (Salmos 147.3).

Precisamos praticar o perdão, e entender não só o amor de Deus por nós, mas a capacidade de exercitar esse amor. Tomemos como exemplo Estevão que na hora da sua morte, sendo apedrejado de joelhos, não só dizia: “Pai, recebe o meu espírito”, mas dizia “perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem.” E Estevão estava seguindo o comportamento do seu Senhor, do seu Mestre.( Atos 7.59-60)

3ª Presos ao passado por coisas boas.

Aquilo que foi bom tornou-se uma idolatria. Muitas vezes nós ficamos presos naquilo que Deus já fez e perdemos de vista que ele quer fazer ainda mais. Porque nos contentamos com algo inferior ao que Deus ainda deseja fazer em nossa vida… Pare de idolatrar o milagre do passado e procure viver o que ele tem pra você hoje.

Em 2 Reis 4.1-6, aquela viúva procura o profeta Eliseu e diz: “olha, o teu servo morreu e deixou uma dívida.” “Agora os credores estão à porta querendo levar meus filhos como escravos.” O clamor dela era por um milagre, pela intervenção de Deus. E Eliseu diz para ela: “o que é que você tem em casa?” Ela diz: “eu tenho um pouco de azeite na botija”. Ele diz: “nós vamos começar do que você tem. Peça às suas conhecidas, amigas e vizinhas o máximo de vasilhas vazias que você conseguir. Fecha a porta sobre você.” Ele estava sinalizando que Deus faria um milagre. Mas ele dá uma instrução: “você vai colocar todas as vasilhas a sua frente. Vai pegar a que tem um pouco de azeite e começar a derramar na primeira.”, “quando a primeira estiver cheia pára, pega essa vasilha, põe para trás. Depois você vai para a próxima.” O que podemos aprender com Eliseu? Ele estava mostrando que Deus não faria um grande milagre na vida daquela mulher. Na verdade, Ele faria uma sucessão de milagres e cada uma daquelas vasilhas era um milagre.

Devemos ser agradecidos POR TUDO o que Deus fez. Porém, precisamos ter a capacidade de pegar aquilo que Deus já fez, colocar isso para trás e focar os olhos na próxima vasilha, no próximo milagre que Deus quer realizar.

Não podemos viver presos às marcas negativas do passado da culpa , da falta de perdão e nem aos milagres vividos. Deus tem algo novo para nós todos os dias, basta voltarmos nossos olhos para a direção correta.

Só pode viver o novo de Deus quem se desprende do passado.

Como você tem lidado com o seu passado? Ele ainda te persegue? Ele interfere no teu presente?

LEANDRO MENEZES, pr.
Comunidade da Graça em Itaquera
cgitaquera.com.br

Compartilhar

Mensagens Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *